O primeiro bater de asas


De repente chegou o dia e me vi acordando as 2 horas da manhã de um domingo que seria ensolarado. Vi o nascer e o poer do sol de um privilegiado ângulo a milhares de quilômetros do chão. Quando eu abri meus olhos, estava aterrissando na Flórida. Olhando pela janela do avião, me senti como um filhote de passarinho prestes a dar o seu primeiro voo. Foi exatamente assim que começou a minha primeira viagem sozinha, no auge dos meus 16 anos. A ansiedade pelo desconhecido era proporcional a expectativa de explorar cada canto daquele lugar e viver intensamente cada segundo daquela viagem.

No primeiro bater de asas,  passei pela imigração e tive minha primeira experiência viva do reflexo que as aulas de inglês me proporcionaram. Depois, continuei voando sozinha para lugares mais distantes e mais altos. Quando dei por mim, estava explorando o melhor que a Flórida poderia me oferecer. É claro que entre um bater de asas e outro, conheci vários parques, incluindo todos os da Disneyland e Universal.

Me aventurei na Expedition Everest, me joguei na Rock 'n' Roller Coaster Starring Aerosmith e não fugi do Harry Potter The Ride Forbidden Journey! Mas essa viagem foi composta de muito mais que aventura, também passei por momentos mágicos como a noite encantada no Magic Kingdom e o show de fogos no Epcot.

Conheci muito do mundo animal no Bush Gardens. O próprio nome já traduz o que esse lugar reserva de melhor: contato com o mundo animal e muita aventura! Lá, onde tem as mais diferentes montanhas russa, um lugar em que literalmente você entra de cabeça na diversão, mas é preciso estar preparado para as fortes emoções - válido mencionar que preferi me aventurar no safari!

Foi no SeaWorld que tive um contato bem de pertinho com o mundo marinho, foi a primeira vez que vi de perto baleias, golfinhos, leões marinhos, tubarões... Foi um momento único! Melhor do que ver todos esses animais marinhos, foi nadar com eles. Essa experiência tive no Discovery Cove! Incrível seria pouco para descrever esse parque. Além de poder nadar em uma piscina natural com raias, nadei pela primeira vez com golfinhos! Muito bem treinados, eles estão preparados para receber carinhos, fazer gracinhas e dar um beijo em todos os seus visitantes.

Como um pássaro que acabou de sair do ninho, depois da Flórida, comecei a galgar timidamente meu espaço no mundo. Já que assim como eles, viajantes não têm um lugar fixo... Sempre a procura de um novo ninho, um novo ar e um diferente habitat. Eu escolho viajar, não para ser turista, mas para descobri a cada dia a beleza da vida. 

2 comentários:

  1. Nossa, que incrível! Essa viagem deve ter sido mesmo incrível <3

    Abraço,
    milenaschabat.blogspot.com

    ResponderExcluir

Comente aqui! <3