Os lugares mais legais de Curitiba

Oi gente! 

Como vocês viram no post anterior, fiz minha primeira viagem sozinha no começo desse mês. Fui participar de um evento jurídico que aconteceu no Paraná e fiquei na capital do estado. É claro que entre idas e vindas do congresso, andei por Curitiba e conheci lugares lindos e muito tranquilos...  Por isso, nesse post vou te carregar na mala pra os lugares mais legais de Curitiba, vem comigo!

Bosque do Alemão: Foi o primeiro lugar que conheci em Curitiba (depois de um supermercado, hahaha), o bosque é a coisa mais graciosa que existe! Além dessa fachada linda que vocês estão vendo na foto, adentrando a construção no fundo, existe uma pequena trilha, que conta basicamente a história de joão e maria (sim, dos contos!). Uma fofura, não? Sem contar que no final da trilha, tem uma "casa/passagem" de vários andares, toda construída em madeira, que proporciona uma visão incrível da cidade! 



Parque Tanguá: Que grandeza de lugar... Uma pena que quando fui, estava com o tempo chuvoso. Mas nem isso conseguiu tirar a beleza do parque. Ele é lindo e muito verde! Cheguei lá bem cedo, então pude ver a hora que ligaram as cascatas, foi um completo show de águas. Na verdade, esse parque é cercado por quedas d'água e pelo verde da vegetação. Encantador. 


Opera de Arame: Eu não imaginava que ela era o que é... Fui pela manhã, portanto não tinha show no dia/hora que estive lá. Mas assim que comecei a seguir o caminho que leva para a sala de espetáculo, só fiquei imaginando um show no fim da tarde naquele lugar. Seria espetáculo dentro e fora de palco. 


Praça do Japão: Se todas as praças fossem assim, garanto que ninguém precisaria marcar de ir pra algum estabelecimento comercial pra se encontrar. Essa praça parece que saiu de um desenho animado, Toda limpinha, com bancos em ótimo estado de conservação... Um paisagismo incrível pra uma praça em uma cidade grande. Foi incrível ver o verde contrastado com uma imensidão de prédios em volta!


Museu do Expedicionário: Esse museu conta basicamente a história dos militares das três forças armadas, em combates pelo Brasil. Lá, são disponíveis vários equipamentos e fardas usadas em combates, assim como também os nomes dos militares paranaenses que foram para guerra. Na entrada do museu, tem uma cópia de um torpedo, usado pela marinha.


Torre panorâmica: Ponto de parada obrigatório pra quem vai à Curitiba... A entrada pra torre da oi é baratinha, pague R$ 5,00, em um sábado e isso porque estava sem a minha carteirinha de estudante... Peguei um elevador que me levou até o último andar, onde tem a visão panorâmica de toda a cidade. É Curitiba em 360º, vale a pena visitar!


Museu do Olho: Que Oscar Niemeyer foi um grande arquiteto responsável pela elaboração de diversas construções famosas no país, não é novidade. O legal desse Museu é o seu formato de olho, que é espelhado e reflete o céu. Uma verdadeira escultura arquitetônica, o museu que se localiza no centro cívico da cidade chama atenção por sua grandiosidade e esplendor. 


Passeio Público: Um lugar perfeito para caminhar e correr... Pena que não levei meu tênis, haha! A paisagem é mega agradável, os caminhos são rodeados por muitas árvores e lá encontrei vários animais. Inclusive, tem uma espécie de lago no meio do passeio público em que vi vários peixes de tamanhos variados! Achei o ambiente agradável no horário que fui (pela manhã), mas fui alertada para não andar por ali em determinados horários.



Jardim Botânico: Dispensa comentários... Um dos lugares mais famosos de Curitiba, o ponto turístico da cidade. O jardim botânico é lindo! Se vocês tiverem de optar um dia pra ir, não vão aos fins de semana, pois fica bem cheio... Nada tira a beleza do lugar, mas suas fotos vão ficar lotadas de pessoas ao fundo, como as minhas ficaram, risos.


Curitiba foi um sonho: cidade linda, pessoas educadas, clima maravilhoso... Eu amei, haha. E aí, pessoal o que acharam das dicas? Espero que tenham sido úteis... Beijos e até o próximo post!



Viajando sozinha

Oi gente!

Que saudade que eu tava de compartilhar minhas experiências com vocês... O ano está sendo tão cheio de compromissos, que o tempo correu e só agora, no finalzinho, eu dei conta de tanta coisa que me aconteceu! Entre tantas novidades e felicidades que 2016 me trouxe, ele me proporcionou a minha primeira viagem sozinha! Por isso hoje, vim compartilhar com vocês pra onde eu fui e o que fui fazer!



Como vocês puderam ver na foto que postei lá no meu instagram (essa que está ai em cima), fui a trabalho. Não foi uma viagem de negócios, longe disso, haha. Fui à Curitiba para apresentar um trabalho, no maior evento jurídico do Brasil, o XXV CONGRESSO DO CONPEDI! Gente, nem acredito (só Deus mesmo pra nos surpreender assim)! Esse foi o meu primeiro congresso e eu só posso dizer que foi incrível! Por isso eu digo: Nunca desistam de seus sonhos e jamais deixem se levar pelo que é passageiro. Foquem no seu objetivo, mas não esqueçam  o mundo ao seu redor. Nem sempre vocês precisam deixar tudo o que te deixa feliz pra trás... A única pessoa que pode cancelar seus sonhos, é você.


Além da experiência que o congresso me proporcionou e as pessoas que lá conheci, posso dizer que essa viagem foi super construtiva para mim, como pessoa. Pegar um avião para um lugar que você nunca foi, aos 19 anos é um tanto quanto desafiador. E eu amei, "foi balinha", hahaha! O lugar, as amizades construídas, o conhecimento adquirido... Tudo contribuiu para um despertar, um amadurecimento pessoal. No próximo post, vou viajar com vocês para os lugares mais legais de Curitiba, porque nem só de estudos se vive né, risos. Beijos!

Floresceu. Morreu.

Você surgiu e fez tudo mudar. Não foi de uma hora pra outra ou de um dia pra o outro. Contudo, foi de repente, nossa (quase) florida história. Tudo começou com uma semente que você plantou e todo dia ia visitar, no princípio com todo carinho e paciência você cuidava e regava. Até que a flor começou a surgir, bem acanhada... Até que... lá estava ela! Desabrochando timidamente, até que todo aquele verde deu lugar a cor.

Mas, quando ela enfim desabrochou, você não reparou. Quando ela estava em seu auge de esplendor, você não a notou. Será que se esqueceu que cada flor tem o seu tempo de finalmente se abrir para o mundo? Talvez pelas complicações trazidas pelo vento impetuoso ou pelo fato de ter plantado em terreno alheio, você desistiu. Partiu sem ao menos descobrir o que de melhor a flor escondia. Simplesmente desesperançou e sumiu, deixando para trás toda a magia... Perdeu a hora que você tanto aguardou: o eclodir!

Então lá estava ela: florida e sozinha. Sozinha em um jardim sem amor. Sozinha em um campo vazio. Sozinha em seu esplendor. Sem água, sem alimento, sem você. Com o tempo, todo aquela beleza foi acabando. Agora, a flor está murchando... Você não pode ver, mas a sua cor está se apagando. Sabe as suas pétalas? Elas estão se fechando e aos poucos vão caindo. Logo logo, aquela linda flor estará sumindo. Desaparecendo. Morrendo. 

Você a plantou, mas não colheu. Você não conseguiu aguardar. Você não acreditou. Você não a viu florescer. Você não experimentou de seu esplendor. Você a perdeu quando a deixou. Você matou a flor, aquela que seria a TUA flor.